Mentoria para a transmissão de conhecimentos no Green Team do MIC ETEPAM

Aprendendo do princípio ao fim, os estudantes constatam o aprendizado adquirido na colaboração

18 de setembro de 2017
• Escrito por

Acreditamos que com tantos trabalhos divulgados feitos pelo Green Team divulgados neste mês, os nossos leitores tenham se perguntado, “Quem transmite todos esses conhecimentos para os recém-chegados e acompanha todo o andamento de suas atividades? ”, o post de hoje irá responder à indagação e mostrar um pouco sobre como funciona o nosso sistema de hierarquia.

Através do projeto Green Team do Centro de Inovação, surge uma nova atividade para os jovens que já estão de certa forma maduros e preparados para delegar. A mentoria tem um papel muito importante para a formação desses estudantes, entendamos o porquê e como funciona:

Ao fazer uma nova seleção, as pessoas da antiga mentoria tendem a sair do projeto por estarem preparadas para a carreira profissional e os mentorados acabam por ocupar seus lugares. A partir disso, os mais novos orientadores irão delegar as funções, demandar atividades e monitorar o andamento das mesmas, para isso existe a revisão, todos os trabalhos no Green Team desenvolvidos passam por revisão, só então, após a validação dos mentores, será divulgado.

O apoio dos mentores é fundamental para o bom crescimento daqueles que acabam de chegar e não têm conhecimento do funcionamento do MIC ETEPAM, sendo assim, se sentem mais acolhidos e direcionados ao cotidiano de colaborador.

O retorno aos mentores é o amadurecimento da capacidade de liderar, delegar e organizar, pois ao estarem com a responsabilidade de representar um time, são chamados a se tornarem os exemplos a serem seguidos.

É notório que o aprendizado está em todas as etapas da colaboração dos estudantes, desde o momento que adentram no âmbito do MIC, até o momento que estão a delegar. Entrevistamos um dos mentores do time de infraestrutura e o mesmo expõe o seu ponto de vista em relação ao cargo, confira:

Lucas Vinícius, de 16 anos, é estudante do segundo ano de Manutenção e Suporte em Informática na ETEPAM e atual orientador de infraestrutura, conta que essa experiência propôs novos desafios para sua formação como um bom profissional, como a questão da responsabilidade de representar e responder por um time, “pude crescer muito e desfrutar de um perfil de liderança bastante significativo”, explica.