Foi dada a largada para o adaXP 2017

Hoje foi o primeiro dia de contato entre as meninas e as instrutoras, confira tudo o que rolou!

10 de julho de 2017
• Escrito por

Hoje, dia 10 de julho, se iniciou oficialmente o mais novo programa piloto do MIC ETEPAM, o adaXP, a manhã foi repleta de muita interação e discussão para as participantes. Das 08:00 às 12:00 horas, as mulheres participaram de palestras, com o coordenador do Centro de Inovação, Francinildo Kleyson, que contou como a iniciativa surgiu e ganhou vida, com as instrutoras Lhaís Rodrigues e Mariana Albuquerque, que explanaram sobre o funcionamento do treinamento, o cronograma e ideação de projetos, e a convidada do dia, Bárbara Fernandes, que explorou o tema “Desafios para as mulheres na carreira de TI e desenvolvimento”.

Bárbara tem mais de 20 anos de experiência profissional na área de tecnologia e negócios, um verdadeiro exemplo de liderança, é formada em ciência da computação na UNICAP e iniciou sua carreira ainda na faculdade. Gerenciou e planejou projetos descomunais, dentre muitos outros feitos de valor indescritível. Sem sombra de dúvidas, a convidada transmitiu muito conhecimento ao palestrar sobre os entraves que o público feminino enfrenta no mercado de TI.

Ao final das palestras houve uma dinâmica com as mulheres, na qual, separadas em grupos, deveriam trabalhar na ideação de um aplicativo com o intuito de solucionar problemas sociais que envolvesse os temas propostos, como sustentabilidade, transporte, meio ambiente, segurança pública e educação, juntamente com tecnologia. Ao final, todas apresentaram seus respectivos projetos e foram parabenizadas pela criatividade e inovação.

Por fim, acompanhadas do coordenador do MIC, todas conheceram o Centro de Inovação, como trabalhamos e sua atuação em competições e capacitação. Tivemos a oportunidade de bater um papo com três delas, confira os depoimentos:

Daiana Ribeiro, de 33 anos, tem formação em administração e marketing, teve conhecimento do treinamento através de uma publicação em rede social e logo se interessou por trabalhar com TI na área comercial e achou uma ótima oportunidade para aprender e conhecer o público que trabalha. “ Há sim a possibilidade de me aprofundar na área, e espero, ao final do programa, entregar o projeto pronto, o que será um desafio. ”, afirma.

Anny Chien, tem 25 anos e é formada em comércio exterior e atualmente faz graduação de ciências políticas com ênfase em relações internacionais. Ficou sabendo do treinamento através de sua irmã, que é ex-aluna da instituição e se interessou por que deseja conhecer um pouco mais da área de tecnologia, por estar em busca de novos rumos. “Desejo continuar e me aprofundar mais em programação, espero aprender o básico, agregar conhecimento e principalmente, conseguir desenvolver o projeto. ”, conta.

Natália Soares, de 20 anos, atualmente cursa engenharia eletrônica na UFPE, conheceu o programa por uma indicação de um amigo e se viu interessada por envolver a área que gosta. “A iniciativa é bastante interessante principalmente por ser ministrado por mulheres e ser destinada a esse público. Vou me aprofundar por já trabalhar na área e minha maior expectativa será desenvolver meus conhecimentos de programação”.

Um sentimento comum à todas as participantes foi o de entusiasmo, o MIC ETEPAM deseja uma boa sorte para que todas possam desenvolver e aprimorar suas habilidades e competências.